25. abr, 2018

Fotografia ou imagem?

O que é uma fotografia e o que é uma imagem? Quando é que uma fotografia deixa de ser fotografia e transforma-se em imagem? Se tem dúvidas sobre estas duas definições, então talvez encontre aqui a resposta.

Com alguma frequência sou assaltado por dúvidas sobre coisas que, em princípio, não deveriam ser motivo de preocupação. Coisas simples e sobre as quais não costumo pensar muito ou então, sobre as quais nunca tinha pensado antes. O facto é que a dúvida apareceu sem aviso e das minhas pesquisas, aqui descrevo um resumo das respostas encontradas.

Vamos começar por definir o que é uma imagem. Uma imagem é a representação visual de algo, como uma ou várias pessoas, animais, objectos ou paisagens. Uma imagem é tudo aquilo que represente visualmente qualquer coisa. Um desenho de uma paisagem é uma imagem, uma estátua é uma imagem, uma pintura é uma imagem, uma fotografia também é uma imagem, todas representam visualmente algo.

Verificamos então que dentro do termo abrangente “imagem” encaixam várias sub-categorias que definem a forma como cada uma é realizada. A escultura, o desenho, a pintura, a fotografia, etc.. Uma escultura é então a representação visual de algo, uma imagem de algo. Passa-se o mesmo no caso do desenho e da pintura, são processos diferentes que permitem mostrar algo, mesmo que esse algo seja uma ideia. No caso da fotografia a situação modifica-se um bocado, uma vez que não é possível fotografar directamente uma ideia mas, por outro lado, tem a particularidade de conseguir congelar o tempo (fotografia de alta velocidade) ou alongá-lo (longa exposição).

Agora vamos definir a fotografia. Fotografia é o nome dado a toda a técnica que permite a fixação de uma projecção da realidade usando para o efeito, uma câmara escura. Por outras palavras, é o nome dado à técnica capaz de fixar a realidade através de uma máquina fotográfica, independentemente de usar processos químicos ou electrónicos.

Chamo a a tenção para o facto de apenas as máquinas fotográficas usarem “câmara escura”. Os equipamentos que dão origem, por exemplo, a uma radiografia, um TAC ou uma ressonância magnética, não usam câmara escura, deles obtemos imagens e não fotografias. Da mesma forma, o processo de colocar objectos sobre papel sensível à luz e transferir uma cópia dos mesmos para o papel, não usa uma câmara escura, portanto não é uma fotografia. Simplificando, fotografia é o nome dado ao registo de uma imagem real, através de uma máquina fotográfica.

Até aqui tudo parece simples. Já vimos o que é uma imagem e o que é uma fotografia, mas… e quando uma fotografia se transforma em imagem?

Esta é uma pergunta de resposta muito controversa e não há um consenso tão alargado quanto seria desejável para uma resposta concreta. A ideia geral é que uma fotografia passa a ser apenas uma imagem (é despromovida) quando através da manipulação (realizada após a tomada da foto) o resultado deixa de ser igual ao momento da realidade captada.

Quanto ao tipo e à quantidade de manipulação realizada as opiniões dividem-se em duas correntes, “os puristas” e “os visuais”.

Os puristas defendem que qualquer manipulação, como seja a simples correcção de contraste ou melhoria de cor transforma uma fotografia em uma imagem. Para eles, tudo o que não seja o que a máquina captou é alterar a realidade.

Clonar algo, endireitar um horizonte ou corrigir uma perspectiva está fora de questão. Um HDR ou uma panorâmica obtida da junção de várias fotos também não são permitidas. Os puristas não admitem qualquer manipulação em pós-produção, contudo, o light painting, uma longa exposição ou um panning continuam a ser fotografias, atendendo que não sofram qualquer alteração.

Os visuais não são tão críticos. Para os visuais são permitidas todas as correcções possíveis e imagináveis desde que o resultado final mantenha o aspecto real. Por outras palavras, pode-se corrigir ou melhorar o contraste, as cores, as perspectivas, a inclinação e até retirar ou colocar algum elemento na fotografia. Em jeito de resumo simplista, se o resultado final parece real é uma fotografia, se não parece real, é uma imagem.

Os visuais aceitam o HDR o light painting, a longa exposição e as panorâmicas formadas por várias fotos, tudo encaixa na categoria de fotografia contando que o resultado pareça real.

Para os visuais, até é possível fotografar uma ideia.